Filme goiano é exibido no Brasil e no exterior

22 de julho de 2019

O premiado filme O Malabarista, do diretor Iuri Moreno, está ganhando o mundo. Lançado em 2018, o curta-metragem foi selecionado para vários festivais de cinema no Brasil, e também no exterior, como Portugal, Grécia, Cuba, Estados Unidos, Índia, Canadá, entre outros.

O filme é mais um dos projetos contemplados pelo Programa de Incentivo à Cultura – Lei Goyazes (Edital de 2016), mecanismo de fomento do governo de Goiás, gerenciado pela Secretaria de Cultura.

O documentário em animação traz no roteiro o cotidiano dos malabaristas de rua, que colorem a rotina monótona das grandes cidades. A narrativa mostra o trânsito caótico da cidade em preto e branco e depois corta para a rotina da malabarista que segue seu dia colorida e colorindo a cidade, contrastando com as rotinas estressantes de quem segue o fluxo urbano. Enquanto as imagens passam, escutam-se depoimentos de pessoas que trabalham com o malabarismo de rua. O sinal vermelho é o que dá a largada para o espetáculo da artista. A animação é do goiano Wesley Moreno, um dos maiores animadores do País.

O Malabarista é o terceiro filme do cineasta e roteirista Iuri, e já angariou vários prêmios em festivais nacionais e internacionais. A produção também foi indicada ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2019, de melhor curta de animação, e ainda, ao Prix Jeunesse Iberoamericano 2019, como melhor documentário (11 a 15 anos).

O filme é assinado pelo também goiano, Wesley Rodrigues, um dos maiores animadores do País. O diretor Iuri Moreno falou sobre a opção de discutir a poluição urbana a partir do colorido da arte de rua. Foram mais de dez horas de gravação com artistas em Goiânia (GO) e cerca de três meses produzindo o filme.

Iuri é apaixonado pela arte circense e tinha a ideia de realizar uma obra sobre os artistas de rua desde a época da faculdade de Audiovisual, há oito anos. A escolha pelo formato de animação veio depois e acabou dando novos significados ao filme. O gênero está em crescimento no Brasil e já ganha destaque internacional com filmes como O Menino e o Mundo, que integrou a Mostra de 20 anos do Festival Internacional de Cinema e V´deo Amabiental (Fica 2018).

Desde 2015, o país mais do que dobrou seu lançamento de obras animadas de acordo com dados da Agência Nacional de Cinema (Ancine). Moreno espera que sua produção possa contribuir para que o público tenha um olhar mais brando para a arte no cotidiano, sobretudo em um momento tão cinza para o país.